quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Furo * Morte e Vida

"Foi-me dito que eu poderia viver mil vidas. Optei por uma só, uma idéia que me parece mais comedida, existir com data de validade certa. E depois que vencer esta coisa absolutamente incomoda, aflitiva e inevitável (como um tumor na cabeça) que é a crítica, então repousar. Aí sim, que seja mil vezes numa eternidade esplêndida. Repousar da dúvida, repousar da falta, repousar da queda, simplesmente ceder os pontos e sentar no chão da criação, exausto, indisposto para mais aventuras. Quando eu morrer quero voltar a ser criança. Acordar tarde, dormir cedo e temer pouco ou quase nada. Só sonhar".

Um comentário:

Anísia Neta disse...

Muito bom teu blog!! Adorei mesmo!! Voltarei aki sempre!! Abraços para o anfitrião dessa Casa de Alegoria...